segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Militâncias

Estar de volta é sempre um sentimento feliz. Da mesma maneira que me entristecem as despedidas. Desses momentos guardo apenas os abraços. Os abraços que não apetece desfazer, que ficam colados à pele, que aquecem o coração todos os dias. E os abraços são sempre tão bons. Apertados, colados, confortáveis, fofinhos. É por isso que gosto tanto de abraços. Fazem-me sentir viva, mostram-me o lado bom da vida, ajudam tanto a acreditar que vale a pena.
Sou militante de abraços e de afectos. Gosto de sentir a alma cheia e o coração a transbordar quando penso amizade. Porque a amizade é para vida, para além das estrelas. Porque a amizade é uma mão sempre estendida, dois braços e um coração - abertos - para receber, ouvidos disponiveis para escutar.
A amizade é uma militância saudável de afectos. Amigos são os irmãos que o coração escolheu para a vida. Amizade está sempre presente, nos dias de muito calor, quando faz chuva, quando cai a neve ou mesmo quando o sol brilha envergonhado. A amizade resiste à partida de um amor perdido, a amizade resiste sempre à fogueira das vaidades, a amizade levanta o ego e não deixa a o pensamento sucumbir às armadilhas da solidão e do abandono. A amizade está sempre presente mesmo depois de perder o emprego e um lugar na lista na lista telefónica do telemóvel. Amizade é partilha, é confiança, é afecto. Sempre!
Amizade é estar sempre à distância de um abraço, sem contar os quilómetros.
E militante deste amor maior, deste amor mais alto que transforma os seres humanos em anjos, só conheço uma maneira de "ter as quotas em dia"; gostar cada vez mais. Da nossa amizade. De ti.
Eu também estou sempre aqui.
Mil beijinhos, adoro-te

1 comentário:

mendogas disse...

Lindo texto Adelaide está só espectacular amiga!!!
que bom é ler estes teus textos.
tchau beijinhos.