segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

De volta

Vai alto Janeiro e muito demorado. Lento, lentinho, parado. Uma inércia que enlouquece, tira do sério, arrefece a alma, despedaça o coração. Há uma dor, forte, no peito. Dor de fraqueza, de impossibilidade, de rendição.
A estrada bifurca-se. De um lado o caminho dos coitadinhos, sem alma, amor, vontade ou respeito. O caminho espinhoso do egoísmo que leva à loucura e à tormenta. Do outro, a auto-estrada. A via rápida para quem quer vencer, voltar, recuperar, recomeçar, mostrar que vale a pena acreditar. O caminho certo para chegar, reconquistar, vencer.
Estar de volta é escolher um dos caminhos. Estar de volta é fazer-me à estrada. Estar de volta é recusar vestir a pele de avestruz, negar a rendição, a depressão, a loucura.
Estou de volta! Porque me devo uma oportunidade. Porque mereço um regresso. Por recusar que todos são mais fortes que eu, por acreditar que vale a pena continuar a lutar. Estou de volta! Porque tudo o que tenho vale mais que o facilitismo da derrota. Porque tenho e sinto amor, capacidade, empenho, vontade. Por saber que sou capaz.
Estou de volta para reconquistar o que me pertence. Um dia tropecei, caí e quase me afoguei na derrota. Salvou-me a esperança, a confiança e o apoio incondicional dos que me amam. Por mim e por eles estou de volta. À escrita, à vida, à luta. Pelo respeito e pelo amor que me mereço, que merecem os confiam (sempre confiaram) em mim.
Estou aqui.

2 comentários:

Natália Abreu disse...

E ainda bem que voltaste! Já tinha saudades tuas.
Regressada e em força, sempre no melhor estilo... com aquela capacidade de dar a volta por cima e recomeçar.
beijos grandes

Cláudia disse...

Escreves maravilhosamente bem...
Bjs
Cláu