quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Como se fosse primo

O Carlinhos faz anos hoje. Muitos! Tantos como os que eu tenho. E ele não gosta nada de dizer quantos anos tem. Azar. São 45! E também temos o mesmo apelido. Com a mesma boa vontade com que revelei a idade do Carlinhos, escrevo estas linhas, só para ele. Porque merece. Porque é (quase) da família, por ser um querido, porque lhe chamo amigo e às vezes outras coisas que... só chamo aos homens de quem gosto.
E eu gosto muito do Carlinhos, mesmo quando ele é um chato e se torna quase peganhento como os caramelos. E também é doce. Como os rebuçados! E dá uns abraços apertados, que me fazem sentir o lado bom da vida. E é sensível, ou melhor, é um chorão. Comove-se facilmente e abre as comportas da sensibilidade. Aposto que vai chorar muito quando ler estas linhas.
Pois é! Eu gosto mesmo muito do Carlinhos, já toda a gente percebeu. E tenho saudades dele. Saudades da cumplicidade, da piscadela de olho e de o ver comer alarvemente, como se não houvesse amanhã. E também tenho saudades de o ouvir falar das filhas, com aquele brilhozinho nos olhos. E de o ouvir falar da Isabel, a quem chama "a minha senhora".
Agora vou oferecer estas linhas ao Carlinhos e preparar-me psicologicamente para a reacção dele. Vai chorar e chamar-me "croma".
E, meu querido amigo, eu também gosto muito de ti.
Um beijo
Adelaide

1 comentário:

Ines disse...

O meu papá disse-me logo "Já foste ao teu email? A tia dedicou um blog ao pai pelos anos, Vai lá ver" . . . só me esqueci do babete, mas realmente é um achado o jeito que tens com as palavras. Parece que caem como uma luva em cada frase, mas numa descontracção que até parece que fazes por acaso . . . por isso, temos pena, mas já assinalei o teu blog como leitura obrigatória, porque nunca é demais ler coisas bonitas. Costumam fazer muito bem à alma.

Ainda me queria despedir, mas desde aquele dia nunca mais tive descanso. Até fiz o bolo de chocolate de proposito para a tia, não fossem as colegas galarem-no todo que acabou no mesmo dia em que lhes disse "pronto, levem as fatias à vontade que a tia não está cá este fim-de-semana . . . eu depois faço outro"
Mas não deu mesmo para fazer outro, nem para ir aí =(, e é com muita tristeza que o tempo parece que tem pernas de cinco léguas e nos rouba momentos assim como quem rouba flores pelo caminho.
Mas, esteja onde estiver hei-de me lembrar de vir cá dar 1 pulinho a chatear, hehehe
beijokas grandes titi :^)